domingo, dezembro 10, 2017

CRISE NAS FINANÇAS DO ESTADO - PARTE II
Anderson Rodrigues09:16 0 comentários

Por:  RAFAEL BELTRAME
Vice Presidente da Associação de Cabos e Soldados PMS - JAR


Ao vermos essas viaturas, uma única constatação que nos é possível fazer e que nos induz a esquecer o contexto que estamos vivendo é que elas, sim, são "luxuosas" e oferecem aos profissionais o conforto que eles merecem - pois a maioria, senão a totalidade, trabalha em condições que não são as ideias. Mas não percamos de vista o que nos interessa: o ato, a decisão, o contexto em que elas são adquiridas. Analisemos primeiramente que são veículos de valor e manutenção caros. Agora tudo são flores! Mas e depois? Outro ponto, não menos importante, é: quantos veículos de menor valor poderiam ter sido adquiridos com o valor de apenas um de cada veículo dessa nova frota?! Terceiro ponto: o Estado não estava sem dinheiro?! Necessariamente tem alguma coisa errada acontecendo e a conta simplesmente não fecha! Não paga os salários que, ainda hoje, 09/12/2017, estão pendentes (ATRASADOS), alegando que não tem dinheiro. Já declarou que "não sabe" o que fazer (piada) nem de onde vai tirar dinheiro para pagar o 13° salário dos servidores. No judiciário uma enxurrada de ações contra o esse governo de "mágicos" e pilantras. Mas para fazer essa compra da Toyota o dinheiro, que "não existia" , como um truque de mágica, apareceu! Estranho não é mesmo?! Será que ele subestimou a inteligência dos servidores da Brigada Militar (apostando certamente na fama do brasileiro de possuir memória curta) e achou que eles esqueceriam que não apenas não receberam o salário de novembro, mas que por mais de 30 meses estão recebendo de forma precária e parcelado seus salários?! Isso já não é mais apenas deboche como fez com os professores à época da campanha dizendo ao ser questionado sobre o "piso" da categoria que os mandaria para Tumelero. Isso agora é falta de respeito! É falta de pudor. De vergonha na cara. Indecência e desonestidade. Quem mais além da Toyota ganhou com essa negociação justamente em momento de um "severa crise nas finanças do Estado". Eu entendo que o momento que o país atravessa é péssimo e que vai ficar registrado na história. Entendo que devemos consumir com mais responsabilidade, consciência e que devemos evitar gastos desnecessários, em toda e qualquer situação. Mas a crise tal qual ela é vendida, é uma ficção. É para "inglês ver"! Ninguém é louco o bastante para rasgar ou queimar dinheiro - ele está aí entre nós extremamente mal distribuído ou sendo desviado pelos políticos oportunistas de ocasião, sempre de plantão e a espreita, vorazes por um chance de fechar um novo "negocinho" nos bastidores dos gabinetes país afora. A gasolina sobe de preço há várias semanas. O gás está mais caro, assim como a luz! Estamos sendo massacrados pagando cara pra viver! E agora, acharam que iríamos aplaudir essa pouca vergonha?! Vou aplaudir se o Ministério Público passar a limpo como, quem e de que maneira essas viaturas foram adquiridas por este governo em plena "crise" na qual vem se escudando para faltar ao funcionalismo, humilhar e rebaixar o moral da tropa! Se eram realmente necessárias, por que foram escolhidos veículos de alto valor no mercado em detrimento dos que usualmente a corporação utiliza no policiamento ordinário? A essas perguntas ao MP, ao tribunal de contas e, principalmente, ao povo que é quem paga essa conta o governador haverá de dar explicações capazes de convencer, pois a mim não convence, nem engana!






Comunicação Social - ACSJAR


Sobre o autor Anderson Rodrigues é Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e Propaganda e graduando em Letras - Revisão e Redação de textos pela Universidade Federal de Pelotas. Jornalista Registro Profissional 0019016/RS e Publicitário Registro Profissional 0001599/RS.

0 comentários

Postar um comentário

Sua opinião nos motiva a melhorar mais e mais!