sexta-feira, janeiro 27, 2017

Para “ajudar” o Rio Grande do Sul, a União exige em troca a privatização de duas grandes empresas estatais: o Banrisul e a Corsan.
Anderson Rodrigues04:03 0 comentários

Para “ajudar” o Rio Grande do Sul, a União exige em troca a privatização de duas grandes empresas estatais: o Banrisul e a Corsan.


Só com a venda do Banrisul – um dos cinco bancos estaduais que sobreviveram à privatização dos anos 1990 – o eventual acordo do governo do Rio Grande do Sul com o governo federal, em torno de um programa de recuperação fiscal, solucionará a situação falimentar das finanças gaúchas. O tamanho da operação de socorro ao Estado dependerá de o governador José Ivo Sartori vencer a resistência política para a venda do banco, segundo informação de fontes oficiais. Caso contrário, o alívio será insuficiente e temporário.


 Em dezembro, no Painel da Folha, a notícia da privatização do Banrisul em troca da ajuda da União eram favas contadas: 


Não aceito fiado

A privatização de empresas estaduais pode ser usada para quitar dívidas de governos com a União. Os Estados leiloariam companhias de saneamento e bancos regionais para quitar débitos federais. O Planalto ainda cogita autorizar empréstimos do BNDES desde que ativos rentáveis sejam usados como garantia. Essas são algumas das medidas em estudo pela equipe econômica para tentar salvar governos à beira da bancarrota, caso de Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.


Nem almoço grátis

Mas a ajuda só virá se os governadores se comprometerem a apoiar no Congresso a aprovação do plano de recuperação fiscal que será reenviado ao Legislativo em fevereiro.



Sobre o autor Anderson Rodrigues é Bacharel em Comunicação Social e graduando em Letras - Revisão e Redação de textos.

0 comentários

Postar um comentário

Sua opinião nos motiva a melhorar mais e mais!