sábado, janeiro 17, 2015

O Legado de João Domingues
Anderson Rodrigues19:10 0 comentários

Quando as coisas estão erradas e o mal começa a prejudicar as pessoas, não devemos nos abster e fechar os olhos, mas sim, combater o mal profundamente é preciso ir até na raiz do problema. 
         
Sgt João Domingues 
Esse sempre foi o pensamento do presidente da Associação de Cabos e Soldados Policiais Militares João Adauto do Rosário (ACSJAR) o policial militar João Domingues. Durante todo o tempo em que esteve a frente do antigo Clube de Cabos e Soldados e agora conhecida como Associação de Cabos e Soldados, João Domingues lutou de forma "agressiva" contra as injustiças, por melhores condições de trabalho para os Policiais, realizou campanhas sociais para ajudar os Brigadianos – Como a reconstrução de casas de Policiais que perderam tudo em incêndios e também ajudou diversas famílias vítimas de enchentes em São Lourenço e Pelotas – reivindicou mais viaturas, mais policiamento para Pelotas, defendeu exaustivamente a realização do curso de formação de sargentos (CTSP) em nossa região para que os Brigadianos da cidade não precisassem “abandonar” suas famílias por um período tão longo. 

          O papel político de um presidente de qualquer entidade classista é defender seus associados, para tanto é preciso ter coragem para fazer certas mudanças e mexer em alguns setores antigos e intocáveis, mas o risco de manusear essa colméia administrativa  é que você pode ser "picado" muitas vezes, mas depois de um tempo de tanto receber ferroadas o veneno já não faz mais efeito isso te fortalece e você segue em frente. Na defesa dos Brigadianos o Presidente João Domingues sofreu vários processos disciplinares por exigir garantias de melhores condições de trabalho para os colegas Brigadianos, cobrou do Estado o amparo social às famílias dos Brigadianos mortos, mas não bastava apenas apontar as falhas sem oferecer soluções por isso Domingues resolveu acabar com as “vaquinhas” que eram feitas pelos colegas para poder arcar com as despesas funerárias e então contratou um plano de seguro de vida para os Policiais Militares associados da entidade, que desde que estejam com a mensalidade em dia estão automaticamente amparados para receber o seguro de vida.
          Das inúmeras associações representativas de Policiais e Bombeiros Militares poucas são tão atuantes como a associação de Pelotas, o Presidente João Domingues mesmo com legitimidade ativa para representar seus associados e familiares através de uma instituição de mais de 60 anos de existência, é perseguido constantemente por inúmeros oficiais, por exemplo, quando o Presidente concedeu entrevista para um veículo de comunicação falando sobre a realidade do sistema, as causas dos problemas do sistema e as conseqüências para a corporação ele foi persistentemente perseguido pelo alto escalão e punido.
Presidente da ACSJAR João Domingues preso por conceder
entrevista em uma emissora de Rádio. Relembre o caso - click aqui !

          No entanto as lutas da Associação e o empenho do Presidente João Domingues por melhorias na corporação contribuíram para alavancar o nome da Associação nacionalmente, o reconhecimento das inúmeras entidades representativas dos praças espalhadas por todo o país contribuíram para que a associação criasse uma identidade classista conhecida e respeitada em vários estados da federação, conferindo ao Presidente João Domingues notoriedade no cenário nacional sendo nomeado membro do Conselho Nacional de Segurança Pública (CONASP) e eleito Diretor da Associação Nacional dos Praça (ANASPRA) .  Algumas mobilizações ficaram marcadas na história da ACSJAR e ganharam apoio da sociedade como:

O movimento por armários para os Brigadianos:

         Com a constante atuação da Associação de Cabos e Soldados muitas demandas começaram a chegar até a diretoria da entidade, uma delas foi sobre os armários que seriam retirados dos Brigadianos “veteranos” e seriam repassados para os alunos do curso de formação de soldado que seria realizado no 4º BPM. A preocupação da Associação foi que com a retirada dos armários os Brigadianos não teriam onde depositar seus fardamentos e muitos deles faziam faculdade na época, como existe uma orientação da Brigada Militar e das Faculdades e Instituições de Ensino de que o Policial não assista aula fardado e armado, por tanto, os Brigadianos seriam prejudicados com a perda dos armários. No entendimento da Associação não cabe a entidade fazer ingerências, mas auxiliar o Estado apontando as falhas e oferecendo soluções. No manifesto público que ficou conhecido como “o protesto dos armários” que durou vários dias e ganhou grande repercussão na mídia o comandante do 4º Batalhão da Brigada Militar abriu um canal de negociações com o Presidente da Associação de Cabos e Soldados que manteve durante todo o período de negociação uma barraca montada em frente ao quartel, após o protesto o Presidente João Domingues doou um armário para o 4º batalhão.

O Ato do Caixão:

       
Protesto contra o "pacote de bondades" do governo Yeda (PSDB)
          As ações da Associação nunca fizeram distinção de partido A ou B, as manifestações da entidade nunca foi pautadas por partidos e ideologias.
O ato do caixão foi o manifesto contra o “pacote de bondades” do governo de Yeda Crusius que foi enviado para a Assembléia Legislativa. Uma das propostas inclusas no pacote do governo era a perda da promoção automática para a reserva.

Direitos Humanos para os Brigadianos e familiares


          A criação da comissão de direitos humanos dos Policiais e Bombeiros Militares possibilitou à implantação de uma política humanitária de resgate a dignidade, da valorização dos Brigadianos do respeito a pessoa humana, por meio de medidas significativas adotadas pela comissão. Uma das grandes realizações desta comissão foi a contratação de um seguro de vida para os Brigadianos associados titulares da ACSJAR, no qual cada associado contribuía com apenas R$ 2,00 (dois reais) e recebia uma cobertura de 10 mil reais, através da seguradora Mongeral/Aegon, quando o associado titular faltasse de forma acidental, ou seja, com ferimentos de fora para dentro excluindo morte natural.Alguns associados não entenderam de pronto a necessidade na contratação do seguro, mas a maioria reconheceu a importância desse resguardo que a Associação proporciona para as famílias enlutadas no momento mais triste, no qual a viúva, filhos e parentes ficam sem rumo, sem saber a quem recorrer. A Associação repassou as famílias dos policiais falecidos cerca de 50 mil reais no total. Em 2014 a Associação assinou a contratação de uma nova seguradora, o MBM , neste novo contrato o valor da apólice aumentou para 16 mil reais.
          Uma das obrigações do Estado é zelar pelo bem estar dos cidadãos, no caso de um Brigadiano o Estado e a Brigada Militar devem prestar todo apoio a família do servidor, mas infelizmente não é isso que ocorre na pratica se não fosse o apoio da Associação de Cabos e Soldados o Sgt Pires seria enterrado no chão, um verdadeiro descaso com o servidor público, na opinião dos membros dos Direitos Humanos da Associação. 
Mas o Presidente João Domingues sempre teve uma preocupação com os Brigadianos e seus familiares principalmente nesses momentos, por isso, para acabar com a tradicional “vaquinha” que parentes, amigos dos praças faziam para custear o funeral, a Associação adquiriu um jazigo no Cemitério São Lucas, no Boa Vista.
    Ao longo da jornada do Presidente João Domingues a ACSJAR passou por transformações expressivas e seu legado ficará na história da Associação de Cabos e Soldados, cito alguma destas conquistas: 

A aquisição da ambulância:

Ambulância da ACSJAR 

       A compra da ambulância da Associação para seus associados foi um ato de um diretor que se preocupa com o bem estar da família brigadiana. Com apenas R$ 0,50 de cada associado a Diretoria da ACSJAR comprou o veículo que ajudou e ajuda muitas famílias, como a família do Sargento Gerlach que tem um filho transplantado, na época seu filho William precisava fazer um acompanhamento mensal em Porto Alegre para verificar se o fígado que recebeu não havia sofrido rejeição, foi um momento sofrido para a família mas a Associação deu todo o suporte até a recuperação completa do William. Tem também o caso da família do Sgt Itajaí o qual sua filha Nandiala foi diagnosticada com Leucemia, foram anos de angustia e muitas viagens para Porto Alegre e a Associação sempre junto com sua família dando todo suporte. O caso do Sgt Mello que sofreu um grave acidente não posso deixar de destacar,  ajuda da associação foi crucial , pois ele necessitava de deslocamento diário até o centro de reabilitação. Esse são apenas alguns casos em que a ambulância da Associação foi designada para auxiliar a família brigadiana.

Sgt Domingues com o amigo Sgt RR Rocha
          Registramos ainda a competência do motorista da Ambulância, Bombeiro Militar Sgt Rocha que ao longo dos anos como condutor responsável pela Ambulância demonstrou um capricho na manutenção do veículo, um excelente atendimento aos associados, sem nenhuma queixa pelos usuários da Ambulância apenas elogios, por isso a confiança do Presidente Domingues e a duradoura amizade entre ambos é uma das marcas dessa administração.

          A compra do novo prédio: 

Prédio onde funciona a sede administrativa da ACSJAR

          A compra do novo prédio onde funciona atualmente a sede administrativa da ACSJAR foi muito importânte para a entidade, mesmo que alguns associados não entendesse o valor dessa decisão da Diretoria, o Presidente Domingues junto com toda a diretoria decidiram adquirir o imóvel ao lado do salão de festas. O que mais pesou nesta decisão foi que se alguma família mudasse para o prédio, o salão de festas da Associação teria acabado e hoje diante da valorização imobiliária o patrimônio da Associação subiu de forma considerável.


         Os Projetos Sociais: 

O Projeto Chutando as Drogas foi criado em 2009 e ajudou muitas crianças e adolescentes.
          Os projetos Sociais da Associação são uma das principais marcas da Associação. A criação do Projeto Chutando as Drogas foi um dos grandes feitos do Presidente João Domingues o Projeto desenvolvido em parceria com o Ministério Público, Prefeitura Municipal de Pelotas e Exército Brasileiro já teve mais de 100 participantes. O objetivo do projeto é a prevenção ao uso de drogas licitas e ilícitas e o público alvo, são crianças e adolescentes. O Projeto Fazendo Arte disponibiliza diversos cursos de artes manuais para a comunidade. O Projeto Ronda Brigadiana visa a reinserção do Policial Militar à sociedade muitas vezes ele vai para reserva sem nenhum preparo e fica perdido e em muitos casos se entrega para o álcool e o Projeto verde criado para projetos voltados para a natureza como o plano de revitalização da sede campestre da ACSJAR.     

      Departamento de Serviço Social: 

Dep. de Serviço Social entrega moto para empresa sorteada na Ação entre Amigos

          O Departamento de Serviço Social da ACSJAR foi criado para coordenar os Projetos Sociais da Associação de a otimizar o atendimento dos associados. Atualmente o Departamento de Serviço Social conta com a coordenação e supervisão do Policial Militar e Assistente Social Sgt Giovane Bapstista ele supervisiona as três estagiarias do Departamento que são alunas universitárias da Faculdade Anhanguera de Pelotas. 
Através do Departamento de Serviço Social  a Diretoria da ACSJAR firmou um acordo com o Ministério Público de Pelotas, através da vara de execuções criminais. O foro repassava cestas básicas para a Associação que por sua vez repassava para as famílias dos Brigadianos. O Serviço Social da Associação repassou mais de 4 mil reais em cestas básicas para diversas famílias brigadianas.

Essas foram algumas das conquistas da ACSJAR e que todos os associados tem acesso. Neste processo de transformação citamos alguns nomes que fizeram parte da gestão do Sgt Domingues e que foram fundamentais para o crescimento e fortalecimento da Associação de Cabos e Soldados Policiais Militares João Adauto do Rosário, são eles:

Sgt Oswaldo Dias e Oneida Dias
CB Jurandir Baldes da Rosa
Ten Marco A. Nunes Alves Lisboa e Vânia 
Sgt Vatson Guerra Matar
Sgt Canez
Sgt Giovane Baptista
Sgt Carlos A. Ebel


Postado por:
Ânderson Rodrigues
Comunicação Social-ACSJAR
alor1313@hotmail.com









Categoria: ,
Sobre o autor Anderson Rodrigues é Bacharel em Comunicação Social e graduando em Letras - Revisão e Redação de textos.

0 comentários

Postar um comentário

Sua opinião nos motiva a melhorar mais e mais!