terça-feira, julho 24, 2012

Postagem polêmica de vereador de Pelotas causa indignação nos Brigadianos
Anderson Rodrigues21:29 0 comentários

Uma postagem feita pelo vereador de Pelotas Ivan Duarte (PT) causou uma grande polêmica e irritação nos Brigadianos de Pelotas e região, os familiares dos policiais também ficaram indignados. 
tudo começou quando o vereador postou uma imagem que continha a seguinte frase “A Ditadura já acabou, só falta avisar a polícia!”. 

Imagem foi postada por Ivan Duarte em sua página do Facebook.

Mais de 150 pessoas comentaram a postagem do vereador em sua página no facebook, os policiais exigem uma retratação do vereador.

Confira alguma das respostas dos Brigadianos e parentes:

...Tortura seu ivan duarte e o que vcs politicos fazem com o povo ...tortura seu ivan duarte e o que o governador do teu partido deu de aumento para os policiais isto sim e uma tortura e mesmo assim sao meus verdadeiros herois porque assim como o senhor durmo bem descansada pois enquanto estou com minha bolsinha de agua quente nos pes no aconchego do meu lar sei que na rua tem estes ditadores para defender minha familia e a do senhor seu ivan duarte...

...Sr. Ivan Duarte, eu confio nos meus colegas, e sei que hoje não existe mais tortura! e o senhor se tem conhecimento desta prática, DENUNCIE! prove o que estás afirmando! e ai então venha expressar seus sentimentos contra "torturadores" com provas concretas! ...

...O Sr. foi infeliz quando acusou os policiais de serem torturadores, isso sem conhecimento de causa. Gostaria que o Sr. fizesse o mesmo com esses bandidos que invadem residencias matam pais de família, abusam de nossas esposas e saem ilesos,...

A Diretoria do Departamento de Direitos Humanos dos Policiais e Bombeiros Militares da Associação divulgou uma nota de desagravo ao vereador de Pelotas. 

NOTA DE DESAGRAVO AO VEREADOR IVAN DUARTE.

No dia 23 de julho de 2012, nós Policiais Militares do município de Pelotas, fomos surpreendidos com uma foto publicada pelo Vereador Ivan Duarte, cuja imagem revela um muro pichado com a seguinte expressão:
“A DITADURA TERMINOU ... 
SÓ FALTA AVISAR A POLÍCIA”

Comentando a foto, o citado Vereador, externa sua opinião a respeito do trabalho dos policiais pelotenses, da seguinte forma:
A TORTURA SEGUE COMENDO SOLTA NAS ABORDAGENS, CADEIAS E DELEGACIAS... (NÃO TODAS, CLARO).

HÁ POUCO TEMPO,NO QUARTEL DA BM, AQUI EM PELOTAS, VEZ OUVI DE UM CORONEL: "QUANDO MEU SOLDADO SAI DAQUI (PARA UMA AÇÃO POLICIAL), EU DIGO PRA ELE: PRIMEIRO ATIRA, DEPOIS INVESTIGA! É MELHOR SER JULGADO POR 7 (JÚRI), DO QUE SER CARREGADO POR 6 (CAIXÃO)...

PASSEI A ENTENDER PORQUE OS SOLDADOS AGEM COM TANTA VIOLENCIA, AS VEZES, SEM A MENOR NECESSIDADE...

Pois bem. Muito embora se reconheça o direito constitucional a liberdade de expressão que assiste a todo cidadão, e também ao nobre Edil, não se pode desconsiderar que a mensagem é ofensiva aos Policiais Militares do município de Pelotas.
D certa forma, pode-se até compreender a indignação do Vereador em relação à violência policial, retratada inclusive em relatórios internacionais de defesa dos Direitos Humanos, atitude com a qual também não comungamos.
No entanto, a leitura da manifestação do Vereador Ivan, nos permite verificar que sua indignação é direcionada, não às polícias militares em geral, mas aos Policiais Militares de Pelotas.
Tanto que afirma compreender a violência policial a partir da manifestação do Coronel do 4º BPM, que sabidamente é o quartel da Brigada Militar de Pelotas. A conclusão do Vereador é a seguinte, Se o comandante pensa dessa forma, é natural que seus comandados ajam “COM TANTA VIOLÊNCIA, ÀS VEZES, SEM A MENOR NECESSIDADE...”
É isto que o Vereador pensa. É isto que publicou. E é justamente isto que denigre a imagem de toda uma corporação, quer se considere coletiva ou individualmente.
Nós Policiais Militares de Pelotas, fomos atacados em nosso mais íntimo sentimento de fidelidade e profissionalismo, no qual pautamos nosso conduta durante toda nossa jornada nesta instituição centenária que servimos com orgulho, a Brigada Militar do Estado do Rio Grande do Sul.
Diz à publicação que torturamos as pessoas abordadas. Que tratamos o cidadão com violência desproporcional e desnecessária.
Quem enverga a farda da Brigada Militar em Pelotas, segundo tal publicação, não é um cidadão cumpridor de deveres e responsável por manter a ordem, a paz, fazer cumprir as leis, apoiar, defender, proteger a população e o patrimônio público e privado, mas quem está vestido com a farda Policial Militar é, na verdade, um torturador travestido de PM. É o que advém da foto!
Ora, a forma genérica e leviana com que foi feita a séria acusação, afeta diretamente a honra dos Policiais Militares de Pelotas, honra pela qual pautam seu trabalho.
Afinal, o cidadão Pelotense, quando coagido em seus direitos, não clama ao Vereador Ivan Duarte, mas sim à Brigada Militar. 190 é o número mais chamado do País, e os motivos são óbvios.
Contudo, o cidadão comum, afetado pela importância da opinião externada por um Vereador do quilate de Ivan Duarte, internaliza o sentimento de que todo Policial Militar é criminoso. Outrossim, já existem manifestações nesse sentido nos debates da citada postagem.
Não se pode imaginar maior desserviço à sociedade Pelotense.
Deixamos claro todo respeito que sentimos pela história do Vereador Ivan Duarte, tantas vezes reconduzido ao legislativo municipal por seus próprios méritos.
Isto, porém, mais uma vez ressaltamos, não pode servir para que o eventual o nobre Edil desmereça uma categoria que se dedica a zelar pela segurança do cidadão de pelotense, independentemente de remuneração e das precárias condições de trabalho.
Que o nobre Vereador Ivan Duarte, reflita sobre suas palavras e da próxima vez faça justiça com toda uma classe de profissionais que orgulham a Brigada Militar, herdeiros que são de tradições que jamais deverão ser esquecidas.

Diretoria do Dpto de Defesa dos DH da Associação de Cabos e Soldados de Pelotas em nome de todos os seus associados.
Categoria: , ,
Sobre o autor Anderson Rodrigues é Bacharel em Comunicação Social e graduando em Letras - Revisão e Redação de textos.

0 comentários

Postar um comentário

Sua opinião nos motiva a melhorar mais e mais!