quarta-feira, fevereiro 22, 2017

Aniversário do 4º BPM e troca de Comando no CRPO-SUL
Anderson Rodrigues05:40 0 comentários

Na manha de terça(21) o 4º BPM comemorou a passagem de seus 93 anos de história ao lado da comunidade Pelotense, na ocasião foram homenageados alguns Policiais Militares da ativa e da reserva da Brigada Militar, lotados no 4º BPM. Dentre os homenageados está o Soldado Tiago Rommel que assim como muitos soldados da Brigada Militar que buscaram uma maior qualificação para exercer está árdua missão de combate à criminalidade, Rommel formou-se Bacharel em Direito, e atualmente apoia, de forma voluntária, a Associação de Cabos e Soldados Policiais Militares.

Veja algumas fotos do evento:





COMANDO REGIONAL DE POLICIA OSTENSIVA SUL REALIZA TROCA DE COMANDO.


Rito de passagem de comando: À esquerda, o Tenente Coronel Carlos A. Prado de Andrade recebe o comando do Coronel Minuzzi.



Na manhã desta terça-feira (21/2), na sede do 4º Batalhão de Policia Militar em Pelotas ocorreu a passagem de comando do Comando Regional de Policia Ostensiva Sul (CRPO Sul).
Na ocasião o tenente coronel Carlos Alberto Prado de Andrade assumiu o CRPO Sul, substituindo o coronel Nelson Alexandre de Moura Menuzzi. A solenidade de passagem de comando foi presidida pelo Sub Comandante-geral da Brigada Militar, Coronel Mario Yukio Ikeda. 


Tenente Coronel Carlos A. Prado de Andrade (E) , Coronel Mario Yukio Ikeda (C),  Coronel Nelson A. de Moura Menuzzi(D)


O CRPO Sul é o órgão da Brigada Militar responsável pela coordenação das ações de polícia ostensiva em 27 municípios da região Sul do Estado. Durante a solenidade o comandante substituído coronel Menuzzi foi agraciado pelo Sub Comandante Geral coronel Ikeda juntamente com o Comandante substituto coronel Andrade com a comenda “Policia Ostensiva Sul” pelos relevantes serviços prestados junto ao Comando Regional. Na mesma ocasião também foram homenageados com a comenda “Coronel Camilo” 22 integrantes do 4º BPM que se destacaram no exercício de suas funções no decorrer da carreira.




Tenente Coronel Carlos A. Prado de Andrade (E) assumiu o comando no lugar do Coronel Nelson A. de Moura Menuzzi





Texto e Fotos: Página do Crpo-sul no Facebook.



sábado, fevereiro 18, 2017

ACSJAR REALIZA EVENTO PARA OS AMIGOS DA ASSOCIAÇÃO
Anderson Rodrigues17:29 0 comentários


Na noite do dia 17 de Fevereiro de 2017, foi realizado o Jantar Dançante para os Amigos da Associação. O evento teve animação da Discoteca Fênix. O jantar foi servido pela equipe da Sol Buffet, no cardápio saladas variadas, strogonoff de franco e arroz.

Veja algumas fotos do evento:



Jantar especial servido pela equipe Sol Buffet.

Saladas coloridas enfeitaram a mesa do Buffet

Equipe Sol Buffet com o SGT Nilton da discoteca Fênix


Os convidados que compareceram ao evento na noite de ontem, apreciaram o sabor da comida caseira da Sol Buffet, desfrutaram de um agradável ambiente familiar e curtiram as músicas dos anos 80 tocadas pela dicoteca fênix.


Veja as fotos do evento:


















Anderson Rodrigues
Assessor de Comunicação


terça-feira, fevereiro 14, 2017

Manifesto à População
Anderson Rodrigues08:30 0 comentários



Viemos à público, manifestar nosso apoio ao movimento dos Policiais Militares do Espírito Santo. O “ajuste fiscal” implementado pelos governos Sartori, Alkmin, Pezão e Hartung entre outros, penaliza a população e, sobretudo os funcionários públicos. A implementação desta politica, afeta setores essenciais como saúde, educação e segurança. Não reconhecemos tão pouco, autoridade moral em Temer, Jungmann; para arguir a possível ilegalidade do movimento.
          Vivemos momentos difíceis e de afronta clara ao Estado de Direito, neste sentido conclamamos as entidades da Sociedade Civil e dos Direitos Humanos que impeçam a instalação de  um“ tribunal de exceção” para  que seja evitado o linchamento dos  Policiais Militares que participaram do movimento. Da mesma forma que sejam apurados os crimes  em que a população foi vítima e os responsáveis penalizados na forma da lei.
            Continuaremos solidários e vigilantes,  na luta por uma sociedade Justa, Humana e Fraterna!
          
  Respeitosamente,

Soldado BM Neimar de Oliveira Lima

Presidente da ACSJAR

sexta-feira, janeiro 27, 2017

Para “ajudar” o Rio Grande do Sul, a União exige em troca a privatização de duas grandes empresas estatais: o Banrisul e a Corsan.
Anderson Rodrigues04:03 0 comentários

Para “ajudar” o Rio Grande do Sul, a União exige em troca a privatização de duas grandes empresas estatais: o Banrisul e a Corsan.


Só com a venda do Banrisul – um dos cinco bancos estaduais que sobreviveram à privatização dos anos 1990 – o eventual acordo do governo do Rio Grande do Sul com o governo federal, em torno de um programa de recuperação fiscal, solucionará a situação falimentar das finanças gaúchas. O tamanho da operação de socorro ao Estado dependerá de o governador José Ivo Sartori vencer a resistência política para a venda do banco, segundo informação de fontes oficiais. Caso contrário, o alívio será insuficiente e temporário.


 Em dezembro, no Painel da Folha, a notícia da privatização do Banrisul em troca da ajuda da União eram favas contadas: 


Não aceito fiado

A privatização de empresas estaduais pode ser usada para quitar dívidas de governos com a União. Os Estados leiloariam companhias de saneamento e bancos regionais para quitar débitos federais. O Planalto ainda cogita autorizar empréstimos do BNDES desde que ativos rentáveis sejam usados como garantia. Essas são algumas das medidas em estudo pela equipe econômica para tentar salvar governos à beira da bancarrota, caso de Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.


Nem almoço grátis

Mas a ajuda só virá se os governadores se comprometerem a apoiar no Congresso a aprovação do plano de recuperação fiscal que será reenviado ao Legislativo em fevereiro.



quinta-feira, janeiro 26, 2017

JANTAR DANÇANTE: EM RITMO DE CARNAVAL
Anderson Rodrigues08:49 0 comentários



A Associação de Cabos e Soldados PMs de Pelotas convida nossos amigos e amigas à participar do Jantar Dançante na sede da Associação de Cabos e Soldados em fevereiro. Os ingressos já estão à venda na secretaria da Associação.




Gestão:
Soldado Neimar Lima - Presidente
Soldado Rafael Beltrame - Vice-Presidente

terça-feira, janeiro 24, 2017

VESTIBULAR 2017 ANHANGUERA
Anderson Rodrigues05:04 0 comentários


A Faculdade Anhanguera está com inscrições abertas  para o vestibular de verão. Aproveite os descontos oferecidos através do convênio com a Associação de Cabos e Soldados PMs.

terça-feira, janeiro 17, 2017

Silvana Covatti começa análise do pedido de impeachment de Sartori
Associação de Cabos e Soldados PM JAR19:50 0 comentários

A tendência é que a parlamentar arquive o processo, já que ela pertence ao Partido Progressista, membro da base aliada de Sartori


Presidente da Assembleia Legislativa, Silvana Covatti. Foto: Vinicius Reis / Agência ALRS
A presidente da Assembleia Legislativa, Silvana Covatti (PP), começou a analisar nesta terça-feira (17) o pedido de impeachment de José Ivo Sartori (PMDB). A tendência, no entanto, é que a parlamentar arquive o processo, já que ela pertence à base aliada do governador.
Previsto para ser analisado ainda em 2016, a solicitação chegou às mãos da presidente da Casa Legislativa somente na segunda-feira (16). Desde que foi entregue, em 24 de outubro, o pedido estava sob análise do procurador-Geral da Assembleia, Fernando Ferreira.

Governador José Ivo Sartori. Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini (Arquivo)
Caso não seja arquivada, o que é bem difícil, a peça será encaminhada à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Assembleia. A peça jurídica protocolada pelo Cpers/Sindicato (Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul) pede que Sartori seja impedido por crime de responsabilidade, ao descumprir ordem judicial em favor dos servidores estaduais quanto ao parcelamento de salários.
Em nota após a entrega do pedido de impeachment, o Palácio Piratini criticou a decisão do Cpers de entregar na Assembleia um pedido de impeachment do governador José Ivo Sartori. O governo afirmou que o encaminhamento da peça jurídica pelo sindicato “faz parte de sua conhecida radicalização política”. “Além de ser inconsistente, não ajuda o Estado a superar a crise financeira e a melhorar a qualidade do ensino. A Assembleia Legislativa saberá dar o devido encaminhamento à questão”, afirmou a nota.


Fonte: Plantão RS